Resenha: Tinha uns Olhos da Cor da Tempestade - M. R. Terci (Série O Bairro da Cripta)

31 de janeiro de 2016
Título: Tinha uns Olhos da Cor da Tempestade
Série O Bairro da Cripta - Spin Off
Autor: M. R. Terci
Editora: Amazon
Ano: 2015
Páginas: 67
Skoob
Comprar: Amazon

Tinha uns olhos da cor da tempestadeSinopse: "Dentro, apesar das chamas que brilhavam esvoaçantes e famintas pela noite, só havia escuridão. O fogo, inobstante ser a chave para a destruição daquilo que não se nomina, não era capaz de intimidar a trevosidade encarnada naquele galpão. Em poucos instantes, pequenos sóis amarelos se acenderam na negritude daquela escura nebulosa. Dezenas, talvez centenas de olhos famintos, incendiados como estrelas em um céu dilacerado pelo tridente do diabo. Então, de súbito, guinchando e saltando freneticamente entre as paredes e vigas do galpão, as coisas enxamearam o ar ao redor de dona Giovanna." Quem se aventura pelas trilhas ermas e mal divisadas dos Montes, à oeste de Tebraria, logo se vê diante de uma incomensurável plantação de ervas cor de sangue. Sua aparência rubra transcende o sentido comum das coisas do campo, ao passo que seu gosto amargo transgrede sobremaneira qualquer senso de utilidade. Uma ou outra benzedeira faz-lhe uso. Sinhá Cida reza uma Ave-Maria enquanto trança a rama vermelha no cabelo do doente com gota e da moça com quebranto. O dono dessas terras é Dezidério, velhinho de aparência inofensiva, sorriso infantil e uma sombra diabolicamente faminta. AH! Venham comigo, em direção ao Bairro da Cripta. Vamos por esta estrada. Pelas colinas escarpadas, lugar de vento frio que faz gelar a alma de toda gente. Em redor de imenso e desfolhado bosque de ipês, dar-vos-ei conhecimento daquilo que espreita por este caminho. Vou dizer-vos algo que não querem ouvir. Vou mostrar onde está escuro.

Post por: Bia Gonçalves
Sua maior paixão são os livros que lhe fazem viajar. Odeia mesmices, por isso adora se aventurar nas páginas de uma boa fantasia e se prender a um terror daqueles de parar o coração.





Resenha: Desejo Proibido - Sophie Jackson #1 (Série Desejo Proibido)

29 de janeiro de 2016
Título: Desejo Proibido
Série Desejo Proibido - Livro 1
Autora: Sophie Jackson
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Páginas: 416
Skoob
Comprar: Lojas Americanas | Fnac | Livraria Cultura

Desejo ProibidoSinopse: Primeiro livro de uma trilogia, Desejo proibido é uma história de amor e redenção, de universos distantes que se aproximam e se fundem numa paixão avassaladora. Seu amor é proibido, mas não pode ser ignorado. Katherine Lane nasceu em berço de ouro. Filha e neta de senadores, a bela ruiva de olhos verdes e curvas perfeitas se formou em Literatura e surpreendeu a todos ao decidir dar aulas em uma penitenciária. Mas quando Carter, um detento inteligente e perigosamente sexy, desperta ao mesmo tempo a raiva e o desejo de Kat, ela é forçada a admitir para si mesma que a decisão de lhe dar aulas particulares pode ter sido motivada não pela generosidade, mas sim, pela crescente atração entre os dois. Embora a família e os amigos de Kat temam que a paixão destrua sua carreira e sua vida, tudo o que ela quer é ficar com esse homem que a faz sentir-se completa. Porém, Carter guarda um segredo que tanto pode unir seus destinos para sempre quanto afastá-los de uma vez por todas.

Post por: Bia Gonçalves
Sua maior paixão são os livros que lhe fazem viajar. Odeia mesmices, por isso adora se aventurar nas páginas de uma boa fantasia e se prender a um terror daqueles de parar o coração.





Sorteio: 02 anos de Interesses Sutis

28 de janeiro de 2016

Olá, queridos leitores! Hoje o Interesses Sutis completa 2 anos de existência, e como já é de praxe, para comemorar essa data especial quem ganha é você, leitor. Para isso, os blogs Confraria CulturalReality of BooksO Diário do LeitorMinhas EscriturasMeu Vício em LivrosSeguindo O Coelho BrancoCidade dos LeitoresAmores e LivrosConjunto da ObraLost Girly GirlLivros e FloresGarotinha AdolescenteRevelando SentimentosSome Fantastic BooksLua LiteráriaThe Queen's CastleRelicárioDesbravadores de LivrosMeu amor pelos livrosEscritos e EstóriasLiteraleituraDicas de livrosThe book is on the tableSir James MatthewDa imaginação a escritaUm livro e nada mais se juntaram ao Interesses Sutis para fazer 10 kits com livros e/ou marcadores! Não deixe de participar.
Post por: Bia Gonçalves
Sua maior paixão são os livros que lhe fazem viajar. Odeia mesmices, por isso adora se aventurar nas páginas de uma boa fantasia e se prender a um terror daqueles de parar o coração.





(Listas) Músicas Inspiradas em Livros

26 de janeiro de 2016
Olá leitores! Vocês sabiam que existe muitas músicas que foram inspiradas na literatura? Hoje vamos conhecer algumas delas.

Post por: Bia Gonçalves
Sua maior paixão são os livros que lhe fazem viajar. Odeia mesmices, por isso adora se aventurar nas páginas de uma boa fantasia e se prender a um terror daqueles de parar o coração.





[TAG] Desafio mais Cultura 2016

22 de janeiro de 2016
Olá lunáticos!
Tenho tantas postagens para trazer para vocês, mas meu tempo tem sido uma loucura esses dias com a aproximação do lançamento do meu livro Lexus - O Despertar da Escuridão que não tenho aparecido muito por aqui.
Enfim, vi essa tag em uma pagina no Facebook (TagCultural) e quando o assunto é cultura sempre gosto de participar. Também deixo o meu convite para você que queira embarcar nessa comigo.



Post por: Paulo Bragança
Tem 20 e alguns anos e mora em algum lugar no interior de Minas Gerais, autor do livro Lexus – O Despertar da Escuridão e alguns contos espalhados por aí; É cavaleiro jedi, bruxo, semideus, tributo, Stark de Winterfell e mais!





Resenha: Bela Distração - Jamie McGuire #1 (Série Irmãos Maddox)

19 de janeiro de 2016
Título: Bela Distração
Série Irmãos Maddox - Livro I
Autora: Jamie McGuire
Editora: Verus
Ano: 2014
Páginas: 304
Skoob
Comprar: Submarino | Lojas Americanas
Bela Distração
Sinopse: Cami Camlin é uma garota intensa e independente, dona do próprio nariz desde a época do ensino médio. Agora, cursando a faculdade e trabalhando como bartender no The Red Door, Cami não tem tempo para nada, até que uma viagem para visitar seu namorado é cancelada e, pela primeira vez em quase um ano, ela tem um fim de semana de folga. Trenton Maddox era o rei da Universidade Eastern. Os caras queriam ser como ele, as mulheres queriam domá-lo. Mas, depois de um trágico acidente virar sua vida de cabeça para baixo, ele deixa o campus para lidar com a culpa esmagadora.
Um ano e meio depois, Trenton está morando com o pai e trabalhando em um estúdio de tatuagem para ajudar a pagar as contas. Justamente quando ele pensa que sua vida está voltando ao normal, nota Cami sozinha em uma mesa no Red Door. Como a irmã mais velha de três caras de pavio curto, Cami acredita que não terá problemas para manter a amizade com Trenton no nível estritamente platônico. Mas, quando um Maddox se apaixona, é para sempre — mesmo que Cami possa ser a razão para que a já fragilizada família Maddox desmorone de vez. Em Bela distração, o leitor vai mergulhar novamente nas emoções do universo de Belo desastre, além de vislumbrar mais alguns momentos do casal mais amado da literatura new adult, Travis e Abby.

Post por: Bia Gonçalves
Sua maior paixão são os livros que lhe fazem viajar. Odeia mesmices, por isso adora se aventurar nas páginas de uma boa fantasia e se prender a um terror daqueles de parar o coração.





Filmes mais esperados em 2016 - Parte 2

17 de janeiro de 2016
Olá lunáticos, como vocês estão?
Preparados para a segunda parte dos filmes mais esperados em 2016?
Post por: Paulo Bragança
Tem 20 e alguns anos e mora em algum lugar no interior de Minas Gerais, autor do livro Lexus – O Despertar da Escuridão e alguns contos espalhados por aí; É cavaleiro jedi, bruxo, semideus, tributo, Stark de Winterfell e mais!





Resenha: O Bairro da Cripta, As Elegias - M R Terci #1 (Série O Bairroda Cripta

12 de janeiro de 2016
Título: O Bairro da Cripta - Tomo I - As Elegias
Série O Bairro da Cripta - Livro I
Autor: M. R. Terci
Editora: LP Books
Ano: 2014
Páginas: 168
Skoob
Comprar: Site do Autor | Amazon
O BAIRRO DA CRIPTA - tomo ISinopse: "Cá, em Tebraria, a oeste do preguiçoso Mogi, o peregrino viu, finalmente, Seu rosto esculpido em pedra escura. Era tarde e o desejo de todas as coisas vivas é se esconder daquela escuridão. Mas, é sempre treva no Bairro da Cripta".
Elegias é o primeiro tomo da pentalogia do Bairro da Cripta. Composta por 24 contos que colocam os clássicos do terror universal sob a luz dos lampiões de querosene dos sertões paulistas do século XIX.
Strigois que se alimentam de vitalidade humana, licantropos boêmios às vésperas das núpcias do diabo, aparições atormentadas a procura de algum alento, nereidas sanguinárias que espreitam rios e lagos, sombras famintas que se alimentam de sangue, alienígenas curiosos e seus assombrosos experimentos, divindades cruéis, demônios narcisistas e psicopatas medonhos que mantém estreito entendimento com aquele bairro sinistro que ladeia a assombrada Comarca de Tebraria.
Através das sendas que conduzem às Montanhas da Tristeza de Deus e as margens do rio pantanoso que deságua na Baia das Sepulturas; entre as trilhas desairosas do Jardim dos Suicidas e a grande Necrópole que ladeia a Estrada do Chão Duro está o mal afamado Bairro da Cripta.




Sou uma leitora apaixonada pela literatura nacional. Quem me acompanha, sabe bem que tenho certa preferência por terror e fantasia.
Baseando-se no cenário de nossa literatura, e considerando os autores contemporâneos, ainda conheço poucos do gênero terror. Em um especial onde eu e outras blogueiras nos juntamos para abordar o tema terror, a Fran, do blog My Queen Side, me apresentou ao autor Marcos R Terci.
Não conhecia seu trabalho, aliás, ainda não havia lido nada a respeito do autor. Tive a missão de entrevistá-lo, e para isso passei a pesquisar sobre. Fiquei completamente encantada, primeiro por tamanha simpatia, e segundo por ler tantos elogios sobre suas obras nas redes sociais e blogosfera.
Claro que fiquei ansiando para ler logo algum de seus livros, e hoje venho resenhar o Tomo I de O Bairro da Cripta – As elegias.

“É sempre fúnebre o Bairro da Cripta.” – página 10.

Inicio dizendo o quanto a escrita do autor é única. Ele escreve de uma maneira formal, que há tempos não lia. Às vezes, você, leitor, poderá se assustar em ler a frase que há pouco coloquei, mas posso garantir que é uma escrita que não traz estranheza ou desconforto. Muito pelo contrário. Deixa o enredo mais poético e, ouso apontar, mais interessante e saboroso em ser lido. Posso resumir tudo isso dizendo que sua linguagem contribui, e muito, no requisito de prender o leitor.
Na obra, temos vários contos de terror que acontece em Tebraria, cidade interiorana do estado de São Paulo, especificamente no Bairro da Cripta. Este bairro abriga diversas histórias bem bizarras e assustadoras, com personagens de vários tipos: mortos, vivos, corajosos, bonzinhos, psicóticos, apaixonados e até mesmo sobrenaturais.

“Boataria gera lendas, lendas parem heróis. E, mesmo os cemitérios haverão de ter seus heróis.” – página 22.

Para mim, a forma do livro foi totalmente interessante e inédita. Começamos sem saber muito sobre o bairro em si. Cada conto nos faz conhecermos um pouco mais sobre a “Cripta”; é como se cada página tivesse o poder de nos fazer adentrar mais a fundo no local. E quando demos por conta, nos sentimos um verdadeiro morador que testemunhou cada acontecimento do livro.

“De tanto escrever sobre Tebraria, tanto sabia sobre sua alma que, em seu íntimo, um pedaço da cidade já enxergava.” – página 126.

Os contos acabam se interligando, as vezes reencontramos algum personagem, ou um local específico. Cada página oferece ao leitor um tipo de, como posso dizer... vício. O conto se inicia, e então temos a necessidade em saber mais sobre o personagem, mais sobre a situação contada e até mesmo mais sobre os mistérios da Cripta. Ao término de cada conto, nenhuma existência de dúvidas, ou aquela sensação de que falta alguma coisa. E você se encontra munido de ansiedade para conhecer mais sobre os relatos daquele lugar, para saber qual história está por vir. E não quer deixar a leitura por nada nem ninguém.

“Estranhos de estranhos gostos eram os leitores do mal afamado Bairro da Cripta.” – página 128.

Um ponto relevante no livro como um todo é o fato do autor causar surpresa ao leitor com desfechos inimagináveis, deixando-nos mais viciados ainda em sua escrita.
Costumo resenhar livros que trazem vários contos apontando os que mais me agradaram, os que não; os favoritos, e etc. Neste caso, não conseguirei fazer isso.
Não existiu um conto sequer que me desagradou ou gostei menos. É impossível escolher apenas um como favorito.
Posso fazer algumas citações, de contos que mais me chamaram a atenção. Acho até pecado, mas, apenas para não deixar vocês totalmente no vácuo:
O Toureiro foi um conto que considerei muito rico em detalhes da situação como um todo. Temos muitas emoções misturadas no mesmo lugar; e as cenas descritas se tornam muito palpáveis.
O Jardim dos Suicidas posso apontar como o mais tocante. Apesar do terror envolvido, o drama acabou se sobressaindo.

“Tão sofrível foi teu adeus que não quero te acordar. Pela manhã, talvez, acordemos juntos.” - Página 61.

Seis Degraus de Escuridão foi o único que, de início, não me prendeu. Cometi o erro em pensar que este poderia fazer com que eu apontasse algumas imperfeições. Não sei em que momento já estava presa novamente, e ao final, a sensação de encantamento estava em evidência.
Abigail, O Velho Ari, A Noiva da Cripta, O Cronista de Um Tempo Passado... Realmente, é impossível apontar o melhor ou o favorito. Todos me encantaram na mesma medida. Todos se tornaram favoritos.
Terci tem uma forma original de escrever terror. Um autor tão completo que, após ler apenas uma de suas obras, pude enxergar o que levou autores clássicos a serem imortalizados. Sua linguagem, sua graça na escrita, seu dom de provocar encantamento mesmo trazendo temas que remetem ao medo e até tristeza, me fizeram tornar mais uma fã. E acrescento que sua obra tornou-me uma leitora mais rigorosa.
Estou admirada, encantada e orgulhosa em ter tido o prazer em ler essa obra.
Leitores, termino minha resenha dizendo que esse é um daqueles livros que recomendarei enquanto viver (sem exageros). Se você é fã do gênero e/ou um(a) grande apreciador(a) da literatura nacional, não pode deixar de conhecer Marcos. Comecei 2016 muito bem, com a leitura de um dos melhores livros que já li até hoje. Faltam-me palavras para descrever o quanto apreciei esta leitura.

“...algumas vezes, por mero acaso, temos a oportunidade de constatar o quanto as palavras de nossa língua são pobres para descrever algo dessa dimensão.” – página 11

Nota: 5/5 

Sobre o autor:

M.R.Terci é escritor, poeta e advogado especializado em Direito Internacional com ênfase na União Europeia e Mercosul. Nascido em Descalvado-SP, em 1973, busca honrar aos Deuses da Criação Literária enfrentando, diariamente, o desafio da página em branco, devotando sua energia ao solitário trabalho de traçar destinos através dos meandros do sobrenatural. É o criador das séries: O Bairro da Cripta - tomos I e II - pelo selo LP-Books; Os Imperiais de Gran Abuelo - As Crônicas de Pólvora e Sangue; e Caídos pela Editora Multifoco. Nascido em Descalvado-SP, em 1973, busca honrar aos Deuses da Criação Literária enfrentando, diariamente, o desafio da página em branco, devotando sua energia ao solitário trabalho de traçar destinos através dos meandros do sobrenatural.

Outras Obras:

O BAIRRO DA CRIPTA - tomo II    Universo Paulistano vol. II   Marcas do Tempo IX   Caídos



Post por: Bia Gonçalves
Sua maior paixão são os livros que lhe fazem viajar. Odeia mesmices, por isso adora se aventurar nas páginas de uma boa fantasia e se prender a um terror daqueles de parar o coração.





Filmes mais esperados em 2016 - Parte 1

10 de janeiro de 2016
Olá lunáticos, tudo bem com vocês?
Para inaugurar a coluna "Cultura Geek" com chave de ouro, vou trazer para vocês uma lista com os filmes mais esperados em 2016 pela comunidade nerd. A lista será dividida em 2 parte. Prepare sua carteira, anote na agenda e se programe para não perder nenhum lançamento.
Post por: Paulo Bragança
Tem 20 e alguns anos e mora em algum lugar no interior de Minas Gerais, autor do livro Lexus – O Despertar da Escuridão e alguns contos espalhados por aí; É cavaleiro jedi, bruxo, semideus, tributo, Stark de Winterfell e mais!





Entrevista: Cristiane Saavedra

8 de janeiro de 2016
Primeira entrevista do blog!! 
Todos nós temos a curiosidade em saber detalhes sobre a vida e inspirações de um autor. Imaginem saber detalhes sobre como a autora Kimberly Knight escreveu a série de sucesso B&S?
Mas, para os livros chegarem perfeitos em nossas mãos, há muito trabalho envolvido. E, dentro deste trabalho, podemos evidenciar o processo de tradução.
Hoje trazemos para você um pouco de como é esse processo, as glórias e os obstáculos da profissão, através da entrevista com a linda, fofa, e mega/ultra competente, Cristiane Saavedra.


Ficha Técnica:
Nome: Cristiane Saavedra
Profissão: Administradora. Atualmente trabalha como tradutora literária, preparadora de texto e diagramadora digital.
Idiomas Traduzidos: Inglês / Português



Bia: Cris, conte um pouquinho para nós como foi sua introdução à profissão de tradutora de livros.
Cris: Na verdade, trabalho como tradutora literária há dois anos, quando fui convidada pelas minhas amigas da Editora Charme para embarcar nesse desafio, o qual abracei na hora e serei eternamente grata. Como falei anteriormente, sou formada em administração de empresas com habilitação em comércio exterior, mas confesso que nunca exerci a profissão. Trabalhei oito anos em banco, casei e fiquei quinze afastada do mercado de trabalho.

Bia: Enquanto administradora você tem uma profissão regulamentada e com reconhecimento. Apesar de vários trâmites existentes para a regulamentação (corrija-me caso esteja errada), a profissão de Tradutor no Brasil ainda não é regulamentada. Como você enxerga esse quadro? Em algum momento tal situação te desmotiva?
Cris: É lamentável e até um pouco desencorajador. Como eu falei, a oportunidade caiu no meu colo e agradeço a Deus todos os dias por isso. Mas, sim, conheço algumas tradutoras que são formadas na área, com pós-graduação e diversos cursos e não são reconhecidas como deveriam.

Bia: Sabe-se que para ser um grande tradutor é preciso muito estudo e dedicação. E ainda é necessário estar sempre focado em possíveis mudanças de linguagem e ortografia, enfim, se manter sempre atualizado. Você tem algum ritual de estudo?
Cris: Ritual eu não tenho. Mas estudo muito. Normalmente reservo um tempo para estudar, ler e pesquisar... E também no meio de uma tradução mais trabalhosa, quando a mente cansa e não consigo mais raciocinar direito (rs) paro tudo e leio. E acredite, às vezes, no meio da leitura, a solução para aquela minha dúvida que estava me deixando de cabeça quente, aparece como num passe de mágica.

Bia: O processo de tradução é muito exigente, a meu ver. Quais as dificuldades que você encontra nessa profissão?
Cris: É trabalhoso sim, mas, muito gratificante. Sinceramente, até agora, não encontrei dificuldade alguma na profissão. Como eu falei, ela caiu no meu colo. E agarro com unhas e dentes, todas as oportunidades que me são dadas.

Bia: Encontramos muitas traduções sem contexto, inclusive títulos que não são coerentes com o enredo proposto no livro. Qual o seu processo para a tradução do título em si?
Cris: Os títulos dos livros são sempre escolhidos pela Editora. O tradutor não tem poder algum sobre ele. A única coisa que podemos fazer, é sugerir. Mas a decisão final é sempre da Editora.

Bia: Meu inglês é o básico dos básicos, quando estudante eu sentia muita dificuldade nas traduções de gírias. E confesso que me deparo com muitos livros onde, as que são traduzidas, ficam meio que sem sentido; e algumas ainda apelativas para o enredo. Qual o cuidado que você tem ao traduzir tais gírias? Como é esse processo?
Cris: As gírias são realmente um grande desafio na tradução. A maioria é totalmente diferente da nossa, e, às vezes, até inexistente. Normalmente, a tradução não faz sentido algum na nossa língua. Então, cabe ao tradutor, adaptar sem apelar e perder o contexto da história. Eu, particularmente, faço minhas traduções da forma mais fiel possível, adaptando-as a nossa língua e sempre buscando clareza e fluidez. Além das gírias, alguns temas também dão mais trabalho. Se traduzo um livro de luta ou pôquer, por exemplo, tenho que estudar sobre o assunto e os termos para poder traduzir e adaptar corretamente. Com isso, ao final da tradução me torno quase expert no assunto. rs
Como eu costumo dizer, tradução é aprendizado constante.

Bia: Não é segredo para ninguém esse fato, mas temos muitos livros ainda não lançados no Brasil, que são traduzidos e dispostos em sites e redes sociais por tradutores anônimos. Já li alguns, me deparei com traduções péssimas outras ótimas. Você acredita que esse trabalho digamos irregular, uma vez que a disposição desse material é totalmente sem direitos autorais, pode atrapalhar o processo de tradução quando o mesmo chega a ser publicado corretamente?
Cris: Para mim, como tradutora, não faz a menor diferença de quantas versões existem de um determinado livro. Farei o meu trabalho da melhor forma possível.

Bia: Já recebeu alguma crítica negativa de algum livro traduzido? Se sim, como lidou?
Cris: Sinceramente, não. Mas sou aberta a qualquer tipo de crítica que seja construtiva. Eu tenho sede de aprendizado e sou cem por cento autodidata. Então, qualquer ajuda, mesmo oriunda de crítica, é bem-vinda. Eu costumo criar alerta no google dos livros que traduzo. Gosto de ler as resenhas, mas não para saber opinião sobre a história. É que alguns blogs postam o que acharam da tradução e da adaptação do livro e, é isso o que importa pra mim.

Bia: Você me disse que ama o meio literário. Compreendo perfeitamente, pois também sou apaixonada por ele rs. Até que ponto o amor à literatura influencia sua vida pessoal e profissional?
Cris: Influenciou e ainda influencia cem por cento. Foi esse amor que me tornou uma profissional no mercado editorial. E quando não estou traduzindo ou lendo, estou aprendendo. Ler, é uma constante na minha vida. Hoje, não consigo me ver trabalhando com qualquer outra coisa que não seja livro. 




Não sei quanto a vocês, mas amei saber um pouquinho mais a respeito dessa profissão. 

Comentem!! Deixem sua opinião.

Quer entrar em contato com Cris? Não esqueçam que, além de tradutora ela também é preparadora de textos e diagramadora digital. Envie um e-mail para cris.saavedra.cesar@gmail.com



Post por: Bia Gonçalves
Sua maior paixão são os livros que lhe fazem viajar. Odeia mesmices, por isso adora se aventurar nas páginas de uma boa fantasia e se prender a um terror daqueles de parar o coração.





Lista: Os autores mais bem pagos do mundo em 2015

6 de janeiro de 2016
Olá leitores!!! Final de ano é tempo de listar nossas melhores leituras, as piores, os melhores autores, e assim por diante.
Resolvi começar a saga das listas trazendo a vocês os 16 autores mais bem pagos de 2015. Essa lista bem como as colocações e valores arrecadados foram tiradas do site Forbes Brasil.

1. James Patterson
Foto -James Patterson
O cara está habituado a ocupar o primeiro lugar do pódio quando o assunto é ser o mais bem pago do mundo. Ele estava no topo nos anos de 2010, 2011 e 2012. Em 2013, perdeu a primeira colocação para E. L. James, mas no próximo ano seu nome estava em primeiro lugar novamente. E em 2015 não foi diferente: James Patterson é o autor mais bem pago do mundo, com um faturamento de 89 milhões de dólares. 

Tem 68 anos, escreve não-ficção e romances. Ficou muito conhecido pela sua série de best-sellers com o personagem Alex Cross. Foi o primeiro autor a ter seus romances como o primeiro lugar da lista de mais vendidos do The New York Times na categoria suspense e infantil simultaneamente.
São muitos os livros publicados, nem cabem no meu post. Estou envergonhada em não ter lido até hoje nenhum livro do autor, mas tenho muitos desejados.


2. John Green
Foto -John Michael Green
Se tornou mundialmente conhecido com o best-seller A Culpa é das Estrelas, uma história pra lá de emocionante que foi adaptada para as telonas. Mas não foi apenas esse livro que o fez liderar o segundo lugar dessa lista: O Teorema Katherine, Cidades de Papel e Quem é Você, Alasca? são também suas obras mais conhecidas ao redor do mundo; e juntas o fizeram faturar 26 milhões de dólares em 2015.
Aliás, caso não se lembre, Cidades de Papel também foi adaptado para as telonas, e o próximo será Quem é você, Alasca?
Com apenas 38 anos, já disse em algumas entrevistas que sofreu bullyng na adolescência. Quando visitou nosso país, fez uma participação especial em Malhação.


3. Veronica Roth

Foto -Veronica RothA autora da trilogia Divergente tem apenas 27 anos e já ocupa os primeiros lugares da lista de mais bem pagos. Dois de seus livros foram adaptados para as telonas. Seu faturamento neste ano foi de 25 milhões de dólares.









Danielle Steel
Foto -Danielle Steel
Temos nosso primeiro empate. Ela já está habituada em ocupar as primeiras colocações de a mais vendida, a mais lida, a mais traduzida, a mais poderosa. É rotineiro vermos o nome de Steel entre as paradas literárias. Seus romances dramáticos lhe renderam 25 milhões de dólares neste ano.







4. Jeffey Kinney
Foto -Jeff Kinney
O autor da série Diário de um Banana teve um ganho de 23 milhões de dólares.









5. Janet Evanovich
Foto -Janet EvanovichSe tornou conhecida com a série Stephanie Plum. O primeiro livro, Um dinheiro nada fácil foi adaptado para as telonas em 2012 (no Brasil intitulado de Como Agarrar Meu Ex-Namorado, tendo a atriz Katherine Heigl como Stephanie). A autora teve um ganho de 21 milhões de dólares.







6. J. K. Rowling
Foto -Joanne Kathleen RowlingDispensa apresentações. A criadora do bruxinho mais famoso do mundo, faturou 19 milhões de dólares neste ano.











Stephen King
Foto -Stephen Edwin KingMais um empate. O divônico Stephen também ocupa a sexta colocação, com ganho de 19 milhões de dólares. No que depender de mim, Stephen vai faturar ainda mais no ano que vem. O aclamado mestre do terror nos envolve em suas tramas antigas e sempre tem alguma novidade para abalar ainda mais nossos medos (e bolsos).







7. Nora Roberts 
Foto -Eleanor Marie RobertsonÉ a autora de maior destaque da lista do The New York Times e foi a primeira a ser escolhida para a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos. Já publicou mais de 160 romances, traduzidos em 25 idiomas e editados no mundo inteiro. Neste ano, faturou 18 milhões de dólares.







8. John Grisham
Foto -John Ray Grisham Jr.Ex-político; advogado, escrevia nas horas vagas de seu trabalho. Seus livros sempre tem questões de direito. É o sexto escritor com mais livros vendidos na década de 2000. Seus ganhos foram de 14 milhões de dólares.









9. Dan Brown
Foto -Dan BrownO Código Da Vince, obra de sua autoria, se tornou o livro mais vendido de sempre, sendo publicado em 42 línguas. As demais obras do autor também foram um sucesso. Tudo isso lhe rendeu 13 milhões de dólares.











Gillian Flyn
Foto -Gillian FlynnGarota Exemplar pode até ter sido o livro que deu fama à autora no Brasil, mas existem outras obras também aclamadas. Na Própria Carne e Dark Places lhe renderam muitas premiações. Este ano, empatada na nona colocação, teve um rendimento de 13 milhões de dólares.








Rick Riordan
Foto -Richard Russel Rick Riordan JuniorAutor da série Percy Jackson e os Olimpianos também ganhou 13 milhões de dólares.










Suzanne Collins
Foto -Suzanne CollinsA aclamada autora de Jogos Vorazes segue empatada com ganho de 13 milhões de dólares.










10. E. L. James
Foto -E.L. JamesEm 2013 ocupou o topo da lista, mas o sucesso da então quadrilogia Cinquenta Tons de Cinza lhe renderam 12 milhões de dólares.







George R. R. Martin
Foto -George Raymond Richard MartinSua história é envolta de determinação. Começou a escrever na década de 70, e uma de suas histórias foi rejeitada 42 vezes por diferentes revistas. Nunca desistiu e hoje ocupa a lista faturando também 12 milhões de dólares.









Só acho que precisamos colocar pelo menos um de nossos autores nacionais nessa lista.
Gostaram? Não deixem de comentar.

Beeijos








Post por: Bia Gonçalves
Sua maior paixão são os livros que lhe fazem viajar. Odeia mesmices, por isso adora se aventurar nas páginas de uma boa fantasia e se prender a um terror daqueles de parar o coração.





Resenha: Coração de Tinta - Cornelia Funke #1 (Série Coração de Tinta)

4 de janeiro de 2016
Título: Coração de Tinta
Série Mundo de Tinta - Livro I
Autor: Cornelia Funke
Editora: Seguinte
Páginas: 456
Ano: 2014
Skoob
Comprar: Saraiva | Livraria Cultura

Sinopse: Há muito tempo Mo decidiu nunca mais ler um livro em voz alta. Sua filha Meggie é uma devoradora de histórias, mas apesar da insistência não consegue fazer com que o pai leia para ela na cama. Meggie jamais entendeu o motivo dessa recusa, até que um excêntrico visitante noturno finalmente vem revelar o segredo que explica a proibição. É que Mo tem uma habilidade estranha e incontrolável: quando lê um texto em voz alta, as palavras tomam vida em sua boca, e coisas e seres da história surgem como que por mágica. Numa noite fatídica, quando Meggie ainda era um bebê, a língua encantada de Mo trouxe à vida alguns personagens de um livro chamado "Coração De Tinta". Um deles é Capricórnio, vilão cruel e sem misericórdia, que não fez questão de voltar para dentro da história de onde tinha vindo e preferiu instalar-se numa aldeia abandonada. Desse lugar funesto, comanda uma gangue de brutamontes que espalham o terror pela região, praticando roubos e assassinatos. Capricórnio quer usar os poderes de Mo para trazer de "Coração De Tinta" um ser ainda mais terrível e sanguinário que ele próprio. Quando seus capangas finalmente seqüestram Mo, Meggie terá de enfrentar essas criaturas bizarras e sofridas, vindas de um mundo completamente diferente do seu.


Qual o leitor que nunca sonhou em trazer dos livros seus personagens favoritos? Acredito que pelo menos uma vez na vida esse desejo tenha passado por nossos corações ávidos por livros, mas e se juntamente com os heróis, os vilões perigosos viessem  nos fazer companhia no mundo real? Achou a ideia interessante? Então você precisa ler Coração de Tinta.
"Nada é mais poderoso do que as letras, no bem e no mal, pode acreditar."
Coração de Tinta, primeiro livro da trilogia homônima, vai contar a história de Mo e sua filha Meggie. Mo é apaixonado por livros, assim como sua filha, inclusive, ele trabalha restaurando esses verdadeiros tesouros de papel. Entretanto, Mo carrega um dom (seria maldição?) e por causa disso Meggie nunca ouviu o pai ler um livro em voz alta. Logo no inicio percebemos que algo muito ruim aconteceu com a mãe de Maggie e que este acontecimento esta relacionado com o talento peculiar de Mo.
"Os livros amam qualquer um que os abra".
Numa noite fatídica, quando Meggie ainda era um bebê, a língua encantada de Mo trouxe à vida alguns personagens de um livro chamado "Coração De Tinta". Um deles é Capricórnio, vilão cruel e sem misericórdia, que não fez questão de voltar para dentro da história de onde tinha vindo e preferiu instalar-se numa aldeia abandonada. Desse lugar funesto, comanda uma gangue de brutamontes que espalham o terror pela região, praticando roubos e assassinatos. Capricórnio quer usar os poderes de Mo para trazer de "Coração De Tinta" um ser ainda mais terrível e sanguinário que ele próprio. Quando seus capangas finalmente sequestram Mo, Meggie terá de enfrentar essas criaturas bizarras e sofridas, vindas de um mundo completamente diferente do seu. 
A trama de Coração de Tinta é incrível, repleto de ação, aventura e suspensa, mas o ponto principal da obra de Cornelia Funke são os personagens. O carinho entre pai e filha é tão grande quanto crível. Acompanhar o desenvolvimento desses dois personagens foi uma grande experiencia, inclusive para o meu lado escritor. Capricórnio é um vilão ao melhor estilo "filme americano"; cruel, livre de sentimentos. Outros personagens que surgem no decorrer do enredo também foram muito bem desenvolvidos.
Ao final várias perguntas foram respondidas, mas gostei tanto da história (e já que eu tenho a trilogia) pretendo trazer em breve a resenha dos outros livros. Como não amar uma história com tantos personagens apaixonados por livros? Improvável haha.
Bem, essa foi a minha primeira resenha e espero que tenham gostado.


Post por: Paulo Bragança
Tem 20 e alguns anos e mora em algum lugar no interior de Minas Gerais, autor do livro Lexus – O Despertar da Escuridão e alguns contos espalhados por aí; É cavaleiro jedi, bruxo, semideus, tributo, Stark de Winterfell e mais!
 
© Lua literária - Agosto/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo